25 de julho de 2007

Cruz na estrada?


A imprensa esta noticiando a toda hora informações sobre a tragédia no Aeroporto de Congonhas, realmente o acidente foi lamentável, mas o inevitável neste país é que todas as providencias por menores que sejam são tomadas depois de grandes tragédias, a imprensa faz uma alarido tem a comoção da população, depois as providencias.


Vemos isso diariamente nos noticiários, pessoas atropeladas por falta de passarelas, acidentes envolvendo famílias inteiras por falta de duplicação nas pistas, estradas cheias de buracos facilitando o roubo de cargas e conseqüentemente a morte do caminhoneiro, crianças atropeladas por falta de um simples quebra-molas, avião caindo por falta de radar, entre outras tragédias que todos nós estamos sujeitos. No caso do avião da TAM, pode ser insensibilidade da minha parte mas as providencias e os recursos liberados para a reforma, as mudanças em rotas para outros aeroportos só foram tomados porque 200 pessoas estão mortas, esta fatalidade é a noticia que esta rendendo manchete aos jornais, o povo virou a vitima, e compromete a popularidade do governo, políticos aparecem na televisão repudiando esta situação, é uma triste realidade somos ouvidos e atendidos mas para que isso acontecer temos que ser mártires.
E as estradas que matam todo dia?
As Rodovias deste país estão sucateadas famílias inteiras perdem a vida todos os dias, mas as providencias não são tomadas porque é em pequena escala, todos nós sentimos, mas são coisas que acontecem, no máximo a pessoa estava no lugar errado na hora errada, paciência! Ou aquela frase _Era a hora. (O culpado é Deus).
Famílias não vendem jornais e nem dão ibope na televisão para que então fazer alarde, provavelmente nem votos e por isso que somos tapeados com os tapas-buracos que são na sua maioria superfaturadas e a verba desviada.
Obras que ninguém vê para que fazer?
É difícil achar com precisão o número de vidas perdidas por acidentes de trânsito, conseguiu levantar estes dados mas infelizmente esqueci de anotar a fonte.



Veja algumas estimativas e informações do estudo:
- 42.000 pessoas morrem por ano vítimas de acidente de trânsito no Brasil
- 24.000 pessoas morrem em razão de acidentes nas estradas
- 13.000 morrem no local do acidente e
11.000 são feridos graves que morrem posteriormente
Ocorrem pelo menos 723 acidentes por dia nas rodovias pavimentadas brasileiras.
Média de 30 por hora ou 1 a cada dois minutos.
65 pessoas morrem por dia em virtude de acidente nas estradas.
A cada 40 minutos uma pessoa morre num acidente nas rodovias e 411 pessoas ficam feridas por dia em acidentes nas estradas.
Destas pelo menos 30 morrem em decorrência dos ferimentos.A cada hora 17 pessoas ficam feridas em acidentes nas estradas.

Caso todas as vítimas de acidentes fossem colocadas deitadas no asfalto, teríamos praticamente uma pessoa por quilômetro de rodovia pavimentada, sendo um ferido a cada 1.100 metros e um morto a cada 7 km. "Nosso objetivo é facilitar o trabalho de especialistas, estudantes, jornalistas e público em geral, para que encontrem as informações com facilidade e não passem pelas mesmas dificuldades que enfrentamos para obter as informações", esclareceu Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas.





* Dos 152.470 feridos, aproximadamente 10.864 morrem posteriormente. Consequentemente o total estimado de mortos é de 24.000 pessoas.(1) Dados oficiais(2) Dados oficiais de 14 estados com estimativa para os demais estados(3) Estimativa considerando malha rodoviária, frota e comparativo com demais estadosOBS: O número de mortos é relativo as vítimas que falecem no local do acidente ou durante o transporte para o hospital.






8 comentários:

ELEFANTE disse...

Realmente no Brasil primeiro tem que acontecer as tragédias para depois se tomar providencias.Tem uma rua aqui em minha cidade que os carros passavam sempre correndo.Outro dia o cara perdeu o controle o carro bateu no poste e sua mulher morreu.Depois de uma semana colocaram lombadas.A escrita é sempre a mesma com raras exceções.

auréllio disse...

a última coisa que eles estão pensando é como está sentidos os familiares..eles querem explorar o máximo possivel o assunto..sabe que dá ibope então..

Paulo disse...

O que mexe é quando morrem dezenas de pessoas de uma só vez, tipo masoquisto, e no caso concreto foram mais de 1 centena. Assim sendo o impacto e a opinião publica é outra coisa do que mero acidentes de carro a toda a hora. Pelo que soube, esse problema já existia mas, foi preciso um avião servir de cobaia para agora tentarem resolver o problema. Aí como aqui, também temos os nossos buracos na estrada, talvez menos não sei, mas sei que também acontecem acidentes de carro. O problema tem a ver com as politicas e quem está á frente que, por vezes querem aparecem por coisas de milhões e esquecem-se que com meia duzia de moedas resolvia problemas bem mais graves, os tais que não se vêm mas pesam nas estatisticas.
Quanto ao meu problema, está a ser vigiado, obrigado pela atenção.

Ricardo Rayol disse...

É que nem noticia do Iraque, alguém se surpreende com mais uma bomba lá? Mas o que tem causado indignação é a incompetecia geral para resolver a bosta do caoos aéreo. Por isso estou convidando a participar de uma blogagem coletiva no dia 2 de agosto. Maiores informações lá no Jus Indignatus.

Blog do M@rcondes disse...

As vezes fico pensando no quanto a vida tem sido banalizada e o quanto a morte já não assusta mais. Os noticiários estão tão “recheados” de catástrofes, assassinatos, acidentes, assaltos e safadezas, que misturar uma morte aqui outra ali, parece mais um tempero do que um fato propriamente dito. Um garoto de 16 anos muito mais forte que outro de 11, após violentá-lo, amputou-lhe as duas pernas (http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL75797-5598,00.html ) . Isso é o cúmulo do barbarismo, da selvageria e no entanto passa apenas a ser mais uma manchete, com um texto fraco, voltado mais para o sensacionalismo barato para causar impacto e logo em seguida cair na vala comum do esquecimento. O ser já não é mais humano!

Ana disse...

Pois minha querida, o problema não é só no Brasil! Por cá, passa-se exactamente a mesma coisa. Só depois das coisas acontecerem é que se faz alguma coisa!
E mesmo assim, muitas vezes ficam-se apenas pela intenção.
Choram-se as vítimas, apontam-se os erros e os culpados e fazem-se mil e uma promessas de que não haverá uma próxima vez....só que não devia ter havido uma primeira!

Eu vi a notícia sobre o que aconteceu no Aeroporto de Congonhas e, de facto, é de lamentar.

Bjs

Poeta da Lua disse...

triste saber sobre estes números...
quantas visas se foram?!

um abraço e um sorriso!

AcidoCloridrix disse...

Meu Deus,,, embora essas estatisticas não passem de numeros,,, são numeros horrorosos,,, e que coisa lamentavel hein???
Parece-me que em Portugal,,, na sua pequenina dimensão comparada ao Brasil,,, se passsa algo identico,,, lamentável,,, depois da casa arrombada,,, trancas na porta,,,
HCL