5 de setembro de 2007

FOGO!



No quarto dia de incêndio no Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, o fogo atingiu o ponto mais crítico da unidade de conservação. Após queimar o morro de São Jerônimo e o Caminho das Pedras, na região sul, as chamas chegaram a serra Quebra-Gamela, o que era o temor dos profissionais que tentam apagar as chamas. Cerca de 10 mil hectares já estão queimados, quatro deles dentro da área protegida, o que corresponde a 12% do parque.

O fogo teve início há duas semanas. O foco surgiu em uma área externa ao Parque Nacional, tudo indica que no trecho próximo ao córrego dos Médicos, que passa pela comunidade de São Jerônimo, perto do morro. Há uma semana, o Ibama assumiu os trabalhos de combate para evitar que as chamas entrassem na unidade, mas não adiantou. O tempo seco - há mais de 40 dias não há chuva lá -, a topografia do terreno, cheio de vales e paredões, e a baixa umidade relativa do ar, aliados à falta de consciência de freqüentadores do local (ver matéria), encontraram o ambiente propício para o início do desastre. A queimada era um fato quase inevitável, segundo o Ibama.
Reportagem de Keyte Roma (Jornal Diário de Cuiabá)

Nunca fui a favor de ambientalista, cada um faz a sua parte, até porque algumas coisas hoje são indispensáveis na vida moderna, mas outra coisa é o vandalismo, a falta de consciência e respeito pelo meio ambiente e pelo próprio ser humano.
Chapada dos Guimarães é uma abundancia em rios e cachoeiras, um visual lindo, a visitante que a procura por seus encantos místicos, por suas belezas naturais, por seu clima fresco, ou simplesmente por um bom passeio em suas águas. Mas este ano os veranistas irão encontrar tudo cinza o ar pesado, um calor, e uma sequidão total, somente fuligem das queimadas, esta região ao contrario do que dizem os jornais que apontam somente o incêndio do porque nacional esta sendo queimada inteira, por fazendeiros, moradores ou vândalos. As pessoas mais velhas da região dizem que chuva somente depois do dia dez de setembro, a famosa chuva do caju, a primeira chuva de setembro faz brotar esta suculenta e apetitosa fruta, muito consumida no estado em forma de compota e doce cristalizado, mas espero que esta chuva revitalize a região novamente para que os ipês brotem para o ano que vem, a natureza é sabia e se regenera, nós é que somos os brutos.

4 comentários:

Blog do M@rcondes disse...

Pobre ipê, pobre seres humanos. É a vida que se esvai e desaparece. Que pecado! O problema maior que vejo é o a interferencia do ser humano em tudo. Não sou natureba e muito menos ecologista, mas procuro respeitar para ser respeitado. Para quem ja viveu alguns anos tudo bem, mas o que será de nossos filhos e será que onde estivermos poeremos ajudá-los ou teremos que nos conformar em vê-los sofrer desamparados e o que é pior por nossa culpa, por causa das nossas atitudes. Meu Deus...Que Deus nos conserve.
Ué! E não mudastes o modelo...Coloquei como num comentário! Abraços, vou viajar, feliz 7 de setembro e qualquer coisa, cante o hino nacional para espantar as mágoas. Hehehe!

Ricardo Rayol disse...

O bizarro é que queimadas acontecem a atorto e a direito e o Brasil não tem uma política de combate a incêndio florestal. VTNC.

ELEFANTE disse...

Bota brutos nisso

Som Do Silêncio disse...

É mesmo um pecado estas queimadas, ainda mais se tiverem mão criminosa... Um Beijo Grande Pra Ti Minha Querida