3 de setembro de 2007

Estou pensando nisso.

Dia trinta e um encerou a enquête “você adotaria uma criança?”, resultado 12 sim 1 não.
Eu não tinha pensado em nada sobre o tema para desenvolver um post, mas no dia primeiro de setembro pela manhã veio à loja o Gabriel em processo de adoção pela Sonia, eles não possuíam nada em comum até que um dia eles se encontraram. O Gabriel teve sua genitora uma moça de dezesseis anos, após muitos maus tratos recebidos, o juizado retirou a da guarda da mãe, por falta de estrutura Sonia acabou ficando com ele por uns dias e o carinho foi inevitável, o processo esta correndo para formalizar a adoção. Tem o João Pedro de quatro anos, acabou de voltar de férias com os pais adotivos foi conhecer o mar, tão fofo ele naquela imensidão azul. Sempre acompanho através das fotos a vida deles e a cada dia que passa estão mais lindos e saudáveis.
A Maria Antonia, acompanhei o sofrimento dos seus pais quando perderam o filho único afogado o rapaz de quinze anos estudava na minha classe, hoje sempre encontro ela com o casal, e vejo em seus semblantes a alegria que esta menininha trouxe a eles.
Por conhecidência aniversário de uma amigona a Jack (gravida de quatro meses), juntei à molecada, mamadeira, blusa de frio a tralha toda. O Gabriel (meu filho) adora estourar balões, ele pegou palito de dente e lá se foi à decoração da festa, juntou com um amigo nosso de uns cinqüenta anos (o casal optou por não ter filhos), acho que ele se divertiu pegando os balões para o Gabriel estourar, e a cada POW!uma gargalhada, daquelas bem gostosas que só os bebes conseguem, fiquei olhando a cena e imaginando como um ser humano consegue viver no mundo sem o amor dos filhos, seus gracejos, os primeiros passos, e tantas outros momentos de emoções em um curto espaço de tempo que nos gera lembranças maravilhosas.
Mas retornando ao tema adoção, a Adriana chegou com o esposo, e suas três filhas, a Lara, Manu e Sofia. A Sofia esta com dois meses, e como todo bebe só pensa em mamar e dormir, quando sorri faz dois furinhos nas bochechas rosadas. A genitora da Sofia chegou pouco antes dela nascer e perguntou se alguém queria um bebe, a Adriana pensou, remoeu, conversou e adotou, dois dias de nascidas a Sofia ganhou uma mãe, um pai e mais duas irmãs e principalmente uma família com muito amor, e talvez em 2008 ela vá ganhar um irmão que esta nos planos do casal.
Eu sempre penso em adoção, talvez daqui uns três ou quatro anos eu consiga me decidir inteiramente sobre este ato de responsabilidade e amor. E quem sabe mais doze crianças não ganhem um lar?


Não se esqueça de votar na enquête nova.
Imagem: http://www.ventania-desvairada.com/archives/2006_02.htm

14 comentários:

Dani Vidal disse...

Adoção é uma coisa tão séria.. não é como comprar um cachorrinho. Muita gente diz que adotaRIA... mas não diz, eu adoto. É sempre no futuro.
Acho que é mais pra parecer politicamente correto do que outra coisa.

Mas ao mesmo tempo, aqui no Brasil.. é tão dificil levar uma criança pra casa legalmente. Por mais que tenha que se pensar no bem estar da criança.. existe uma dificuldade, uma burocracia tão grande.. que tem familias que ficam anos com a documentaçao rolando de mão em mão, de assistente social pra assistente social.. e nada de conseguir a adoção legal.

=/

Blog do M@rcondes disse...

Tem um monte de coisas que a gente vai morrer sem entender. Uma delas é a batalha por homossexuais adotarem crianças já que eles não podem ter filhos. Mas e os casais formados por homem e mulher, que podem se transformar em pai e mãe numa estrutura familiar completa, quem esta brigando por eles? E por outro lado por que essa morosidade da “injustiça brasileira” em minimizar esses problemas de forma a unir que precisa e suplica por u;ma família completa.
E mudando de assunto, 13 de agosto é um dia de sorte para muita gente, inclusive nós! Hehehe!
E mudando de novo, estamos de cara nova. Agora quero ver se dou um tempo. Gostei da disponibilidade de espaço. E vamos a tua pesquisa que não vi ainda! Abraços!

Blog do M@rcondes disse...

Sim, respondo sempre que o tema é importante do ponto de vista social, ou seja, abrangente de interesse geral. A internet foi a maior conquista do ser humano devido a sua agilidade interativa. Ela veio para substituir porcarias como a televisão. Hoje a gente se informa de maneira mais rápida e tem o direito de concordar ou não com a opinião de quem quer que seja. Ninguém nos coloca “abobrinhas” garganta a baixo. Parabéns pelo tema da pesquisa, simples, mas faz a gente parar para pensar! Abraços!

ELEFANTE disse...

Eu conheci uma mulher que tinha dois filhos , e foi adotar uma criança, e a criança que ela escolheu foi um menininho com paralisia cerebral. Isso me tocou e vi como uma estranha muitas vezes mostra um amor que muitas mães.

AcidoCloridrix disse...

Desculpa lá,,, a enquete passou-me completamente despercebida!!!
Na verdade a adopção será um acto de amor ainda maior que a propria procriação,,, me fascino com isso!!!
HCL

Fúria das Águas disse...

Minha querida Rosa, pois é retornei cheia de saudades, espero não sair mais.
Olha concordo com a Dani, aqui no Brasil é tudo tão dificil quando se quer fazer as coisas legalmente.
Um beijo
Furia

Luc disse...

Se fosse para adotar, eu adotaria uma criança, maior, pois são as mais difíceis de serem adotadas. Todos querem um bebê rosadinho, ninguém quer um adolescente problemático. Mas atualmente eu não dou conta nem dois meus dois,a grana muito curta...Quem sabe quando eles crescerem um pouquinho??

M disse...

Adoptar uma criança é como fazer um filho. Exepto quando é uma questão de cultura.

Poeta da Lua disse...

beijo-te com saudades!

Ricardo Rayol disse...

Eu já pensi em adoção, mas encontramos tantos percalços e exemplos bizarros que ficamos com medo.

Blog do M@rcondes disse...

Entra no blog como se fosse postar. Clica em layout.Procura por "ESCOLHER NOVO MODELO".Procure pelo SAMPLE BLOG que é antepenúltimo modelo. Ele esta com a barra marrom criado por: Evhead, Glish. Seleciona ele de depois no quadro de "FONTES E CORES" tu vais dar o teu toque de acordo com o que achares mais legal. Não esqueça de salvar antes de sair. Mas fundo, laterais e etc. tudo da para mudar de cor e deixar como a gente gosta. Deleta "essa novela" e qualquer coisa faça contato.Abraços.
Obs.:
Tu não vais acreditar, mas inves de eu responder no teu blog, para ti, respondi no meu.Hehehe! Falha nossa! Deleta depois.

Rafaela Silva Santos disse...

Eu sou completamente a favor, penso que depois q me casar vou ter 2 filhos, um adotado e um natural.A adoção é algo maravilhoso,fazer parte da vida de uma criança,é como gerar o amor não pela barriga como as mães, mas pelos sentimentos que vão nascendo.Essa é a minha opinião.Beijuuss

Blogildo disse...

Eu tive uma filha recentemente. Mas seria muito bom adotar uma criança. Sei que não é moleza e que não tenho a intenção de fazer isso. Mas se eu e minha mulher não conseguissemos ter um filho, é certo que adotaríamos um.

Anônimo disse...

Muito bom material.